Google+ Followers

sexta-feira, 20 de abril de 2012

UMA LATINHA ..UM BURAQUINHO DE AGULHA E CLICK UMA FOTO





Photo da Lata a luz reveladora
Em Alvorada, oficina de fotografia pinhole inova no tratamento contra a dependência de álcool e drogas
A lata e a caixa de fósforos ganharam nova utilidade para 18 jovens e adultos que participam da oficina de fotografia Photo da Lata em desenvolvimento no Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD) do município de Alvorada. Esses objetos agora são o suporte para a aprendizagem da arte de fotografar pelo método pinhole, ou “buraco da agulha”, que permite captar, revelar e reproduzir imagens sem utilizar equipamentos tradicionais ou digitais.
A experiência resulta da ação conjunta da Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social do Estado do Rio Grande do Sul (SJDS), por meio da Rede Parceria Social, com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), que patrocina e acompanha o projeto social realizado pelo Instituto Luz Reveladora, com o apoio da Secretaria da Saúde da Prefeitura Municipal de Alvorada.
O resgate da técnica precursora da moderna fotografia, além de facilitar a compreensão dos princípios elementares da ótica, como refração e difração da luz, contribuem para a educação do olhar e estimula a criação de imagens a partir do aproveitamento de materiais reciclados. A lata se transforma na câmara escura para revelar talentos e habilidades individuais, e até mesmo abrir portas no mercado de trabalho.
A trajetória de Jorge Aguiar é exemplar. Depois de atuar por mais de 35 anos como laboratorista e fotógrafo profissional, com passagem por veículos de comunicação e agências de publicidade em Porto Alegre, foi a lata e a caixinha de fósforos que deu novo rumo à sua vida. No final dos anos 90, trabalhando como fotógrafo da perícia criminalística, Jorge conviveu com a dura realidade da violência nas vilas e morros da periferia da Grande Porto Alegre. Depois decidiu ensinar o que sabia para jovens em situação de vulnerabilidade social e passou a promover as oficinas de fotografia pinhole que deram origem ao Projeto Photo da Lata.
Em 2003, Jorge Aguiar teve o primeiro reconhecimento público: recebeu o Prêmio Direitos Humanos da UNESCO no Rio Grande do Sul. Em 2005, durante o ano Brasil-França, foi convidado a levar sua experiência à cidade de Nanterre, na periferia de Paris - uma região que abriga população de imigrantes das antigas colônias européias. “Nunca imaginei que uma simples lata e uma caixinha de fósforos pudessem me levar tão longe!”, conta o fotógrafo.

O reaproveitamento de materiais é um dos fundamentos das oficinas de fotografia pinhole. As latas servem também para produzir spots de iluminação, assim como sobras de acetato são usadas como filme e pedaços de madeira ajudam na construção de tripés. Num espaço reduzido, é possível improvisar um laboratório para revelar e fixar as imagens captadas. De forma lúdica, o Projeto Photo da Lata fornece ainda lições de educação ambiental, solidariedade e cooperação. E mostra, na prática, que fotografar é muito mais do que apertar um botão.
Nas oficinas no CAPS-AD de Alvorada, um dos participantes registrou: “Venho por necessidade expressiva, desejo de comunicação, anseio de romper barreiras e mordaças. Confronto de idéias e partilha de opiniões (...) Compartilhar olhares poderia e deveria ser uma ponte para um olhar mais introspectivo. Entender que olhar para dentro é perceber o mundo externo”.

Nenhum comentário: